O Ar do Texto Opera a Forma do Som Interior

 Miso Ensemble

O Ar do Texto Opera a Forma do Som Interior é um espectáculo escrito, composto e interpretado por Miguel Azguime, com espaço cénico, electrónica e difusão sonora de Paula Azguime. É um recital poético-musical em torno da palavra (da palavra-sentido e da palavra-som) e do gesto de escrever, entendido como gesto sonoro e instrumental.

Aqui os instrumentos e adereços, quer se trate da voz, das mãos, da caneta, da borracha, da mesa, do balde ou do papel, são utilizados como extensão do corpo e projecção do som da palavra, para a invenção de uma dramaturgia da voz e de um novo teatro: o teatro do som da palavra, o teatro do gesto da palavra, o teatro do olhar da palavra. Aos textos e à voz de Miguel Azguime vem juntar-se um sistema electroacústico de transformação sonora e de projecção espacial, conferindo uma qualidade polifónica e contrapontística à composição do poema.

Trata-se de uma situação músico-teatral, onde a recriação do poema, em ambiente tecnológico, nos conduz pelos seus diversos sentidos e sonoridades. A manipulação informática dos sons produzidos pelo actor amplia o jogo de possibilidades de interpretação numa multiplicidade de dimensões.

O Ar do Texto Opera a Forma do Som Interior, é composto de 7 partes sobre textos de Miguel Azguime:

Prólogo: O oráculo ou a passagem
A ausência do autor
Caligrafias
O ar do texto
Formant-melodies
O som interior
Epílogo: Inscrições no corpo da luz

O Ar do Texto Opera a Forma do Som Interior, foi uma encomenda do Ministério da Cultura e da Associação Cultural "La Marmita".

Textos, composição e interpretação: Miguel Azguime
Concepção, electrónica e difusão sonora: Paula Azguime
Técnica: Miso Studio

 

O Ar do Texto Opera a Forma do Som Interior - Imprensa

 

    Imprimir Email