Miso Music Portugal Concert Season

The Miso Music Portugal Concert Season is a cycle of performances organized in connection with various activities exercised by Miso Music Portugal during the year. The Concert Season programmes have different character, varying between events dedicated to electroacoustic, mixed or acoustic music, performances for children, events dedicated to education through art, concerts organized on the occasion of new CD releases or special events dedicated to one composer in particular.
This wide range of proposals is joined by the Miso Music Portugal's quality of providing new music concerts on the highest level, with the participation of renowned performers from the world over. As always, in our programming strategy we give focus to Portuguese music, putting into perspective 20th and 21st century works and the ones being created here and now.

Check here the archive of the Concert Seasons up to 2013

◄ Back
Concert Season

Discurso sobre o filho-da-puta de Alberto Pimenta - O'culto da Ajuda

from 03 12 2020
to
06 12 2020

O'culto da Ajuda

FERNANDO MORA RAMOS - encenação,
MIGUEL AZGUIME - composição

A música no “Discurso sobre o filho-da-puta”

Desde há muito que procuro fomentar no meu trabalho, um estado de “integração” entre o semântico e o fonético - música enquanto texto e texto enquanto música, talvez pelo ofício múltiplo que caracteriza a minha actividade artística, repartida entre o intérprete, o performer, o compositor e o poeta.

Abordar este texto prodigioso estava faz tempo no horizonte, não só por aquilo que enuncia e pela sua intemporalidade – e como tal actualidade, mas também porque nele se projectava uma cumplicidade crescente de ideais e de pesquisa com o Fernando Mora Ramos, por conseguinte a vontade de uma parceria criativa entre o Teatro da Rainha e a Miso Music Portugal.

O “Discurso sobre o filho-da-puta” oferece-nos do ponto de vista musical uma quase partitura, pelas características com propriedades sonoras da escrita poética de Alberto Pimenta, e contém pois, desde logo, os elementos propícios a uma repartição por várias vozes, de um personagem simultaneamente uno e múltiplo.

Por outro lado, é ritual e conforma ironicamente, práticas comuns aos concertos de música erudita, tanto pelo protocolo exacerbado, como pela carga simbólica, mas também pelo rigor e a depuração do gesto, do gesto poético tornado gesto musical.

O “Discurso” acolhe assim um quarteto de actores, como se um quarteto de músicos se tratasse, quarteto de cordas vocais pois, para dar voz a um discurso coral no qual a palavra se faz música e se organiza em timbres, ritmos, harmonias, melodias; ora em uníssono, ou em homofonia, ou em heterofonia, ou em polifonia, ou em contraponto.

 

Assim mais do que ser música acrescentada ao texto poético de Alberto Pimenta, a música que aqui está em causa é sobretudo o reconhecimento e o desvendamento da música que o texto já contém, dando a ouvir diversamente, dando a ouvir de novo; e assumindo a palavra na sua vocalidade plena; e a voz falada nas suas extraordinárias possibilidades de emissão múltipla, sonoras e expressivas.

 

Miguel Azguime